Tarifa Branca: Vale a pena mudar?

A TARIFA BRANCA é uma opção de tarifa oferecida para consumidores do Grupo B – Baixa Tensão (127V, 220V, 380V e 440V) e possui um valores de tarifa diferenciados em alguns horários do dia.

Antes da Tarifa Branca, o consumidor do Grupo B só tinha a opção da Tarifa Convencional, que é a tarifa (em kWh) que tem o mesmo valor ao longo do dia, independente do dia da semana e do horário.

 

Tarifa Branca ou convencional_ANEEL_mundodaenergia

Imagem: ANEEL

 

Na opção da Tarifa Branca, há 3 diferentes valores de tarifas para os horários: Fora de Ponta, Intermediária e Ponta.

Fora de Ponta: Tarifa mais barata que a convencional

Intermediária: Tarifa mais cara que a convencional

Ponta: Tarifa muito mais cara que a convencional (quase o dobro)

Finais de Semana e Feriados Nacionais a tarifa é sempre Fora de Ponta.

 

Exemplo

Tarifa de Energia no Rio de Janeiro (distribuidora Light)

De acordo com a Resolução Homologatória REH1982/15, as tarifas de energia* para o consumidor residencial é:

 

Tarifa Convencional

Convencional: R$ 0,54346 kWh

 

Tarifa Branca

Fora de Ponta: R$ 0,48619 kWh

Intermediária: R$ 0,64765 kWh

Ponta: R$ 0,95140 kWh

 

*Valores de Tarifas sem impostos e sem acréscimo das bandeiras tarifárias.

Para saber os valores das tarifas de energia da sua distribuidora local, acesse o site da ANEEL ou consulte a própria distribuidora.

 

Vantagens da Tarifa Branca

Há algumas vantagens da Tarifa Branca:

  • Mais uma opção para o consumidor, que antes só podia usar a Tarifa Convencional.
  • É mais barata que a convencional em grande parte do dia e em todos os finais de semana e feriados nacionais.
  • Por ter valores diferenciados durante o dia, incentiva o consumidor a utilizar a energia fora do horário de ponta.

 

Vale a Pena mudar?

Para responder essa pergunta, o consumidor deve conhecer seus hábitos de consumo.

 

Sim, vale a pena quando:

  • O consumidor é um comércio, que fecha seu estabelecimento antes do horário de ponta;
  • O consumidor tem flexibilidade de horário para mudar seus hábitos de consumo (por exemplo, utilizar máquinas e equipamentos elétricos fora do horário de ponta);
  • O consumidor tem baixo consumo nos horários de ponta (por exemplo, chegar em casa tarde).

 

Não, não vale a pena quando:

  • O consumidor não conhece seus hábitos de consumo;
  • O consumidor tem grande consumo nos horários de ponta (por exemplo, chegar em casa as 18h, tomar banho, ligar a TV, ligar o ar condicionado);
  • O consumidor não tem flexibilidade na mudança de horários de uso dos equipamentos elétricos.

 

Como faço para mudar para a Tarifa Branca?

Se você já conhece seus hábitos de consumo e chegou a conclusão de que vale a pena fazer essa mudança, você deve entrar em contato com sua distribuidora de energia e pedir a alteração formalmente.

A distribuidora deverá fornecer o novo medidor sem custo para o cliente. Caso haja necessidade de alteração no padrão de entrada, este custo é de responsabilidade do cliente.

O consumidor poderá voltar para a Tarifa Convencional a qualquer momento. A distribuidora tem até 30 dias para fazer a mudança. Neste caso, o consumidor só poderá retornar à Tarifa Branca após 180 dias.

Se tiver alguma dúvida, deixe aqui nos comentários!

Leia Mais

Bandeiras Tarifárias: O que muda com as novas regras?

Se tem um fator de grande impacto no valor da energia elétrica, esse fator é o Custo da Geração.

Cada fonte de energia tem um custo diferente de geração, alguns mais altos (por exemplo as termelétricas) outros mais baixos (por exemplo, as hidrelétricas).

As usinas hidrelétricas são responsáveis pela maior parte da energia do país, porém, quando os níveis dos reservatórios diminuem a produção de energia também diminui. Para atender o consumo é necessário colocar as termelétricas em operação.

As termelétricas têm um custo de geração mais caro e esse valor é repassado ao consumidor por meio das Bandeiras Tarifárias que podem ser encontradas na conta de energia desde Janeiro de 2015.

bandeiras tarifarias mundodaenergia

Mudanças nas Bandeiras Tarifárias

A ANEEL divulgou ontem (26/01/2016) as alterações para o valor da Bandeira Amarela e a divisão da Bandeira Vermelha em dois patamares que passam a valer a partir de 1° de Fevereiro de 2016.

 

Quais são as Bandeiras Tarifárias?

Atualmente, existem 3 (três) bandeiras tarifárias representadas por cores:

 

Bandeira Verde

bandeira verde mundodaenergia

É a bandeira indicada quando as condições para geração de energia são mais favoráveis (reservatórios cheios). Neste caso, não há acréscimo na conta de energia.

Ainda não tivemos essa bandeira desde que este sistema foi implantado, pois as chuvas não contribuíram para encher os reservatórios.

 

Bandeira Amarela

bandeira amarela mundodaenergia

É indicada quando as condições para geração são menos favoráveis. O acréscimo na conta de energia mudou de R$2,50 para R$1,50 a cada 100kWh consumidos (+impostos).

 

Bandeira Vermelha

bandeira vermelha mundodaenergia

É indicada quando a geração tem um custo mais elevado, por exemplo, quando é necessária a ativação das termelétricas. A Bandeira Vermelha foi dividida em dois patamares:

Patamar 1: O acréscimo na conta de energia é de R$3,00 a cada 100kWh consumidos. 

Patamar 2: O acréscimo na conta de energia é de R$4,50 a cada 100kWh consumidos. 

 

ANTES:

Bandeiras Tarifárias Antes mundodaenergia

A PARTIR DE 01/02/2016:

Bandeira Tarifárias Novo mundodaenergia

 

A ANEEL ressalta que a bandeira tarifária não é um custo a mais, e sim uma apresentação mais clara na conta de energia, pois o consumidor já pagava por esse acréscimo, que era repassado no reajuste da tarifa do ano seguinte. 

 

Se você gostou do post, compartilhe! Se tiver alguma dúvida ou sugestão, deixe aqui nos comentários ou me envie um e-mail para contato@mundodaenergia.com.

Leia Mais